Samhain e os ancestrais

Publicado por Mundo Celta em

A celebração hoje conhecida como Halloween, tinha, para os Celtas, o nome de Samhain. Era a noite mais escura do ano, que marcava o fim das colheitas. Considerado, para os Celtas, como o ano novo, era uma noite de novos começos, assim como tempo de se reencontrar com os que já partiram para o outro mundo.

Os ancestrais, no culto Celta, são de três origens: os ancestrais de sangue, aqueles de quem descendemos fisicamente, nossos pais, avós, e toda a história que compõe a família a que pertencemos; os ancestrais de terra, aqueles que, antes de nós, trabalharam no solo em que pisamos, araram a terra de onde tiramos nossos alimentos; aqueles que cuidaram do lugar em que estamos antes mesmo de nascermos; e os ancestrais de espírito, os quais, de acordo com a sua crença, fundamentaram a sua prática espiritual. Durante o Samhain, os ancestrais e a morte são honrados, justamente no dia em que o véu entre os mundos se torna menos denso.

A morte nesse contexto, não é considerada como algo triste. Morrer não é fim, mas apenas o meio: A vida continua no outro mundo. Nossos ancestrais, quando morrem, cruzam o véu para o outro mundo, onde a vida continua. Durante o Samhain, podemos rever nossos ancestrais, que, tanto aqui como no outro mundo, são fonte de inspiração e ensinamentos.

Para você que vai participar conosco no Mundo Celta, pense em como honrar seus ancestrais, sejam eles de sangue, de terra, ou da sua espiritualidade. Você pode, por exemplo, dedicar um altar aos seus ancestrais, com fotos, objetos significativos e oferendas.